acompanhar

Google+ Followers

Loading...

BENVINDANÇAS

bem vindo ao tempo em que centopeia era carro de guerreiros/
bem vindo ao castelo do último vampiro associado ao último dos dragões/
bem vindo ao amor do amor amado na chama louca dos compassos sussurrados pelo deus dos relâmpagos clamados/

bem vindo à torre em que o pirata espreita o sono povoado da princesa, sabendo: conto de fadas é armadilha e só o otário espera compreensão/
bem vindo, sobretudo, à terra de uma política tão incorreta, que dizer o que pensa é obrigatório na luta pela vida que mantém a cabeça no pescoço

Total de visualizações de página

Postagens populares

Postagens populares

Follow by Email

Translate

Google+ Badge

sábado, 15 de dezembro de 2012

RELÓGIO SERTANEJO


imprestável a vítima desce abismos
azucrinos luminosos despencam demências
íngremes e abjetas como o amor que eu declaro aos seus pés
e você leva até a vertigem
como o passeio final de um desdém confessado

o baralho diz que o caos é mero bilhar de servilismos
aonde a canalhice alfandegária dos médiuns de arribação
prega retratos dos medos
nas praças devastadas da razão
aonde a praga agourenta das bruxas matinais
é motivo de chacota na cascagrossa kármica
aonde as árvores de Sodoma abrigam urubus verbais,
porque a louca putana das submissões
disturba morais desvalorizadas,
porque o objeto sagrado é o cubo da burrice,
só assim se descobre: a imparcialidade é um relógio sertanejo
cujo cuco feroz ruboriza elementais recalcados,
porque eu digo o amor trucidando anacondas,
eu digo o amor de pau duro levando estrelas na cabeça,
eu digo o amor enquanto o guardião dos velórios esfaqueia almas em brasa,
eu digo o amor e você degola os meus sonhos
com o raio da ferruginosa ira de um alucinado
que já teve o turno de deus,
e o céu avermelha no meu ombro
porque dizem no amor que gente como nós
arranca do deleite o número que dá nome à Terra

<a rel="license" href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/deed.pt_BR"><img alt="Licença Creative Commons" style="border-width:0" src="http://i.creativecommons.org/l/by-nc-nd/3.0/88x31.png" /></a><br /><span xmlns:dct="http://purl.org/dc/terms/" href="http://purl.org/dc/dcmitype/StillImage" property="dct:title" rel="dct:type">RELÓGIO SERTANEJO</span> de <a xmlns:cc="http://creativecommons.org/ns#" href="http://ericoalvim.blogspot.com.br/2012/12/relogio-sertanejo.html" property="cc:attributionName" rel="cc:attributionURL">ERICO ALVIM</a> é licenciado sob uma <a rel="license" href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/deed.pt_BR">Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada</a>.<br />Baseado no trabalho em <a xmlns:dct="http://purl.org/dc/terms/" href="http://ericoalvim.blogspot.com.br/" rel="dct:source">http://ericoalvim.blogspot.com.br/</a>.
https://plus.google.com/100503802688690213996