acompanhar

Google+ Followers

Loading...

BENVINDANÇAS

bem vindo ao tempo em que centopeia era carro de guerreiros/
bem vindo ao castelo do último vampiro associado ao último dos dragões/
bem vindo ao amor do amor amado na chama louca dos compassos sussurrados pelo deus dos relâmpagos clamados/

bem vindo à torre em que o pirata espreita o sono povoado da princesa, sabendo: conto de fadas é armadilha e só o otário espera compreensão/
bem vindo, sobretudo, à terra de uma política tão incorreta, que dizer o que pensa é obrigatório na luta pela vida que mantém a cabeça no pescoço

Total de visualizações de página

Postagens populares

Postagens populares

Follow by Email

Translate

Google+ Badge

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

ÚLTIMA LÁGRIMA


Ao soar a trombeta sagrada
pelo coração do pássaro da manhã
o céu se encheu de cores
pelo gargalo do horizonte
e os povos que celebram a liberdade
cultuando o fogo nas escalas do violão
desapareceram nos becos e nas cavernas
como eu prefiro desaparecer
na estrela que é a última lágrima
de amor da madrugada
descendo pelo túmulo até o centro da Terra
aonde o trono de ossos do anjo
que esqueceu a origem
indica no brasão que o perdido sou eu

Eu já não tenho o amor da mulher sonhada
a tenda na estrada deixei abandonada
junto com a saudade que ficou
no apago da brasa

O carro abandonei no acostamento
com o anjo enamorado pela morte
e levo o corpo cheio de sensações
do fogo e do tesão
e um desejo que me deleita o pau
vibrotremulado na única doçura que molda a glande:
teu cu!
teu cu - uma caverna de seda e geléia de fogo
flor carnívora que massageia engolindo minha alma
pela rola,
anja de quatr'alada
- teu cu, meu fêmeo

Licença Creative Commons
ÚLTIMA LÁGRIMA de ERIKO ALVYM é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Based on a work at erikoalvym.blogspot.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário